Desastre - Procurando Saída + Bonus (2019)

R$ 15,00
ou 3 x R$ 5,24
. Comprar  
Reedição do clássico álbum de 2007 com 10 faixas bônus ao vivo!!! 
Bio: 
 
Tudo começou no inverno de 96, quando quatro punks
se juntaram pra montar uma banda com influências
de Discharge.
Disfarce era o nome da banda que chegou a fazer três
músicas em seu rápido período de existência.
Então, pouco tempo depois de desfeita a Disfarce
surge a Desastre!
As pessoas eram as mesmas de antes…
o que sempre mudava era o(a) baixista.
Mesmo essa instabilidade na formação a banda compôs
umas quatro músicas que chegaram a ser tocadas em uma gig
Única apresentação com essa formação, ainda em 96.
Depois disso a banda se desfez e assim ficou até o próximo
inverno quando o vocal (Wil) pega também a guitarra e
a baixista (Diana) assume a bateria.
Ninguém tocava legal, mas foi com uma velocidade incrível
que cinco novas músicas foram criadas e duas reformuladas.
Nesse tempo as letras eram cantadas em Inglês e assim em
dezembro de 97 a banda grava sua primeira “Demo Tape”
chamada “Panic, Death, Fear… Real Nightmare” na qual
a baterista Diana também gravou o baixo.
 
Mesmo com a inexperiência dos músicos a gravação ficou
muito boa e foi um marco na cena punk de Goiânia,
recebendo elogios de punks de várias partes do Brasil
e também da Europa, Japão e USA.
Como não tinha um baixista fixo, ao vivo, a banda
convidava algum amigo pra dar um suporte.
Houveram apresentações sem baixo.
Por vários consertos Fofão (Besthöven) vinha de Brasília
e dava uma força, valendo citar os shows no “Miragem Bar”,
1º Rock TEC e no Domingão da Brodage no “Cantoria”.
 
Foi então que entrou Marcelo para segurar o baixo e a
formação ficou completa com: Wil: Guitarra / Vocais,
Xiquerim > Baixo e Diana > Bateria.
Com essa formação a banda fez novas músicas e gravou
3 novos sons, dois dos quais foram lançados em um split 7”
EP com a banda LIXO da cidade de João Pessoa/PB
pelo selo norte-americano “Sin Fronteras Records”.
A banda continua a se apresentar em vários shows
cabendo citar em alguns que rolaram dentro da Hocus Pocus.
(Histórica loja de quadrinhos local).
Algum tempo depois entra Cláudio e assume a segunda
guitarra. Fica assim por um tempo e Marcelo decide sair
fora. Cláudio assume o baixo e voltamos para apenas uma
guitarra. Assim a banda faz novos sons e várias
apresentações em Goiânia.
Toca ao lado da lendária banda paulista Armagedom
dentre uma dezena de outras Gig’s…
Vão também a São Paulo e tocam ao lado da Irlandesa
Puget Sound que fazia sua “Brazilian Tour”.
 
De volta, a banda continua a ensaiar,
mas não grava as novas músicas e acaba ficando abatida
e desmotivada parando com suas atividades por alguns
meses até que Wil convida novas pessoas e a banda retorna
trazendo 3 novos membros, com Wil apenas tocando
guitarra e com Cláudio nos vocais.
A banda ensaia e chega a se apresentar com essa formação.
Então Cláudio deixa a banda e Wil assume os vocais
novamente, firmando a nova cara da banda com:
Wil > Vocais/Guitarra; Thiago Rato > Guitarra; Danny > Baixo
e Fabiano > Bateria.

Com algumas músicas novas já prontas a banda começa
a ensaiar e surge um convite para gravação de um compacto 7”
EP por um selo Sueco.
Então a banda grava quatro novas músicas para “Mundo Velho”
que foi gravado na cidade de Anápolis/GO e que marcaria
o início da relação da banda com o produtor Gustavo Vazquez.
 
Em 2003 a banda vai a São José do Rio Preto/SP e
grava seu primeiro CD “cheio” com Gustavo Vazquez
que agora morava naquela cidade.
O material é lançado numa parceria dos selos TBonTB Recs
e One Voice Recs.
O CD obtém uma boa repercussão e a banda embarca para
São Paulo para dois shows: um na capital no Hangar 110
e outro na cidade de Sorocaba.
Além disso, “Pesadelo Real” é lançado em formato LP vinil
por um selo francês. No mesmo ano é lançada uma fita K7
na República Tcheca contendo uma compilação de músicas
anteriormente lançadas. A banda dá entrevistas para zines
europeus e se firma cada vez mais no cenário underground.
Ainda em 2004 o guitarrista Rato se muda para os EUA e
Hassan é chamado para ocupar seu lugar.
No entanto, antes da partida de Rato a banda já havia
embarcado para São José do Rio Preto/SP e gravado
seu segundo álbum, novamente por Gustavo Vazquez.
 
Em 2005 sai “Perigo Iminente”, o segundo CD da banda.
Lançado pela parceria dos selos Bucho Discos (SP),
Terrötten Records (RS) E TBonTB (GO).
A banda abre os shows das turnês do Idiot Savant (Alemanha)
e Força Macabra (Finlândia) em Goiânia e aparece na capa
da edição de outubro da revista punk norte-americana
MAXIMUM ROCKN´ROLL.

Em 2006 a banda lança Perigo Iminente em vinil na Alemanha
pelo selo Assel Records.
 
Em 2007 sai “Procurando Saida”, o terceiro álbum com 16
sons inéditos dessa vez gravados na cidade de Goiânia
por Gustavo Vazquez que agora vivia por aqui.
A banda faz várias apresentações para a divulgação do disco
por varias cidades brasileiras e chega a agendar uma turnê
pelo México que não chega a acontecer devido a burocracia
para a obtenção dos vistos por parte da embaixada mexicana.
Em 2009 Hassan deixa a banda e passa a se dedicar à religião
e ao cristianismo.
Com isso a banda resolve dar um tempo e fica inativa por
alguns meses.
Então, em 2010 retomam as atividades com Cláudio na guitarra
. A banda faz vários ensaios e marca sua volta fazendo um show
durante o festival de cinema Perro Loco que aconteceu no
Campus II da Universidade Federal de Goiás.
Alguns dias após o show Claudio se envolve em um acidente de
motocicleta e fica seriamente ferido. Quebra as duas pernas e
fratura um braço. A banda é forçada novamente a parar suas
atividades e fica assim até que em agosto de 2012
resolve retomar as atividades com projetos para a gravação
de novos materiais e toca no Festival Ferrock no Distrito
Federal.
Após esse show a banda interrompe suas atividades após sérios
desentendimentos entre seus integrantes e fica parada por
mais um bom tempo. Sim, a vida não é fácil para os roqueiros!
 
No primeiro semestre de 2016 a banda retoma suas atividades
com novos membros, sendo eles Paulin na guitarra e Urbano
na bateria. Wil continua nos vocais e Danny no baixo. Com o
gás renovado a banda inicia uma série de ensaios e começa
a compor novas músicas ao tempo que se prepara para seu
retorno aos palcos. Depois do show de retorno abrindo para a
banda eslovaca Beton que fazia turnê pelo Brasil a banda
parte para São Paulo para uma sequência de três shows, sendo
os mesmos na capital paulista, Jandira e Mogi-Mirim. Após
o retorno a banda faz mais algumas apresentações em
Goiânia e sofre uma nova alteração em sua formação.
Dessa vez, Danny deixa o baixo que é assumido por
Fernando que já entra com a responsabilidade de gravar
quatro novas músicas para ser lançadas em um 7” EP vinil.
Fernando se mostra muito versátil e com apenas alguns ensaios
a banda parte para o estúdio e registra a gravação de
“Espiral de Barbáries” sob os comandos de Gustavo Vazquez.

Após a gravação a banda faz várias apresentações em
Goiânia, inclusive abrindo para os ingleses da GBH,
parte para um mini-tour se apresentando duas vezes na
cidade de Recife/PE e uma em Campina Grande/PB
durante um fim de semana e participa da festa anual
da banda candanga Violator em Brasília.
Nesse meio tempo, o novo EP é lançado pelos selos
Raw Records e TBonTB Recs o qual conta com prensagem
européia e é altamente elogiado pelo público que acompanha
a banda.
Entre janeiro e fevereiro de 2018, depois de fazer alguns
shows pelo sul e centro-oeste do Brasil divulgando o EP
“Espiral de Barbáries”, a banda entra em estúdio para gravar
“Vasto deserto”, novamente no formato 7” EP vinil.
O Lançamento dessa vez ficou por conta do selo espanhol
Nuclear Fear Records e lançado na Europa
em abril de 2018.

 No final de 2019 Procurando Saída é relançado em CD
com um show completo como bônus gravado em 2018
no Centro Cultural Martim Cererê Em Goiânia.
 
• Prazo para postagem:
Veja também